Friday, December 14, 2012

Petição: Ação de repúdio contra a Revista Veja!

Circula no Facebook uma petição de repúdio contra a revista Veja. Acho que demorou. Lembra dos meus posts sobre essa revista? Veja o cúmulo do machismo e É possível obrigar um pai a ser pai?

Enfim, o motivo da revolta foi a falta de respeito do jornalista Reinaldo Azevedo para com o recém-falecido Oscar Niemeyer, o qual foi chamado de ¨idiota¨. Nem vou entrar no mérito da questão, pois para mim pouco importa agora qual era a tendência política daquele arquiteto. O que importa é que ele se foi. Assim, como qualquer outra pessoa que parte, ele merece respeito, especialmente logo após a sua morte e em revistas de circulação nacional com artigos online também.

Achei deplorável o fato da Veja ter colocado a infeliz matéria do Reinaldo Azevedo na capa da revista. Ele podia ter chamado o arquiteto de ¨esquerdista comunista¨ ou termo equivalente, mas faltar com o respeito em nome da liberdade da expressão é enfadonho. Bem, para alguns ser chamado de comunista já é um xingamento, mas isso são outros quinhentos...

Já tive o desprazer de ler alguns artigos desse jornalista antes. Ele escreve como um adolescente mimado que carrega uma metralhadora carregada com desrespeito que atira para todos os lados, menos para a direita, se é que você me entende. Se você também está farto desse Azedo há muito tempo, assine a petição também. 

Wednesday, October 17, 2012

Você é uma mãe progressista?


A socióloga australiana Charley-Ann Scott, também conhecida como The Sheperdess fala sobre a criação de filhos de uma forma progressista em seu site e no livro ¨The Sheperdess - A guide to mothering without control¨, que estou lendo e adorando. Eis os 13 princípios: 

1. Mães progressistas atendem as necessidades de constante contato físico dos filhos desde o nascimento (amamentando, segurando no colo, abraçando, etc.). Elas não se preocupam em ¨estragar¨ os seus filhos ou se as atitudes deles estão de acordo com a idade deles porque cada criança é única.

2. Mães progressistas fazem todo o esforço possível para atender as necessidades singulares de cada filho e sempre tentam ¨encontrar o sim¨ em qualquer situação.

3. Mães progressistas não usam qualquer forma de disciplina, incluindo técnicas de modificação de comportamento (castigo com tempo predeterminado, elogio, recompensa), castigo físico, disciplina ou consequências.

4. Mães progressistas usam aconselhamento gentil e modelação como ¨ferramentas¨ na educação, ao invés de exercer autoridade sobre os filhos. Elas veem os filhos como alidados ou apoiadores para guiá-las durante os seus primeiros anos de vidas. 

5. Mães progressistas oferecem encorajamento para aprender novas habilidades, mas não julgam a performance dos filhos com críticas ou elogios avaliativos. 

6. Mães progressistas tentam ajudar seus filhos a fazerem o que querem de uma forma segura.

7. Mães progressistas fazem um grande esforço para ouvir o que filhos estão dizendo tanto verbalmente como não-verbalmente. Elas respondem de acordo.

8. Mães progressistas fazem modelação de comportamentos aceitáveis e consideram as necessidades de todos da família quando resolvem conflitos.

9. Mães progressistas veem as ¨vozes¨ dos filhos como iguais às delas próprias.

10. Mães progressistas cuidam de si mesmas e são honestas sobre suas próprias necessidades e sentimentos. Elas não se sacrificam a ponto de tornarem-se ressentidas.

11. Mães progressistas estão constantemente cientes do modo pelo qual se apresentam para seus filhos, tanto com linguagem verbal como não-verbal, e se esforçam conscientemente para sempre serem respeitosas e gentis em suas interações com eles.

12. Mães progressistas guardam pensamentos amorosos e positivos sobre seus filhos no decorrer de suas vidas e sempre presumem que eles tem boas intenções.

13. Mães progressistas lutam para estar cientes de que os sofrimentos sofridos em suas próprias infâncias interferem em suas habilidades de serboas mães e fazem esforços conscientes para evitar passar suas mágoas aos seus filhos.

Os 13 princípios podem ser condensados em uma única regra:

Trate os seus filhos como você gostaria de ser tratado(a) se você estivesse no lugar deles. 

Thursday, October 11, 2012

Tirando a mamadeira

Caneca sem válvula (fluxo livre)

A preparação para tirar a mamadeira começou aos 7 meses com a caneca acima. Comecei a oferecer água nela e continuei usando as mamadeiras para servir leite. 

Uma semana antes dela completar 1 ano comecei a usar a caneca abaixo apenas para servir água. Como ela adaptou-se muito rápido, na semana seguinte eu já passei a oferecer todos os líquidos nela. Inicialmente o meu plano era substituir a mamadeira em apenas uma refeição por dia e ir aumentando ao poucos, mas tendo em vista que ela amou a caneca, por causa da tampinha (transparente que cobre apenas o bico e é presa na tampa) eu resolvi tirar de vez.  Eu confesso que também amo esta caneca, pois ela pode chacoalhar à vontade que não vaza!

Caneca com válvula

FIQUE LIGADA

Um dia antes de eu começar a retirada das mamadeiras, ela demonstrou descontentamento na hora de tomar água na caneca no lanche da tarde e eu imaginei que a culpa era da caneca, mas não era isso. É que ao completar 1 ano a fome aumentou (e a vontade de tomar leite diminuiu). Assim, no primeiro dia da retirada das mamadeiras eu complementei o lanche da tarde.  Ao invés de servir apenas frutas (feitas no vapor) com iogurte natural eu ofereci um pouco de pão integral torrado (cortado em fatias pequenas que não dou na boca - ofereço com a minha mão, ela pega com a dela, com a mais rapidez e vontade, e passa para dentro da boquinha dela - acho importante incentivar a independência na medida do possível).  

Então, eu diria para você ficar atenta, pois se você também for tirar a mamadeira quando sua bebê completar 1 ano ela pode estar se queixando para comer mais e não para tomar o leite na mamadeira (bem, imagino que você também serve o leite depois da comida).

Tá. Você quer saber porque você deve tirar a mamadeira tão cedo. É porque o leite permanece muito tempo em contato com os dentes quando a bebê mama na mamadeira. No copinho é vapt vupt. Os dentes agradecem. Além disso os bebês precisam trabalhar os músculos da língua para poder falar e isso não acontece quando eles usam mamadeira. 

[Estou tentando encontrar um vídeo que vi outro dia com o testemunho de uma mãe tentando introduzir a caneca para o filho. Ela teve que comprar diversas canecas! Quando encontrar o colocarei aqui. Vale a pena assistir].

Friday, September 14, 2012

Contornando choro noturno da bebê



Mês passado escrevi o post Bebê e a hora de dormir e comentei que minha bebê vinha acordando apenas uma vez por noite para pedir o bico ¨perdido¨ na cama. Ela nem chegava a chorar. Eu ficava sabendo que ela acordava porque uso monitor.

Todavia dias após eu escrever aquele post ela começou a acordar chorando. Uma ou duas vezes por noite.  Duas noites seguidas. E não era dor na gengiva nem gás. Passava com o colo da mamãe. 

Meu marido disse ¨Bebês são assim mesmo. De fases¨. Eu pensei ¨Ok. Faz sentido¨. Mas mãe tem aquela coisa de buscar a perfeição, então, coloquei minha cachola para funcionar e me lembrei de um artigo que li sobre 20 maneiras de ajudar o seu bebê que anda (toddler) a dormir. 

Embora minha bebê anda não ande, ela está próxima disso, pois começou a sentar sozinha semana passada e agora já engatinha. Então, resolvi colocar em prática a única dica que me lembro do artigo, que falava sobre ter cuidado com o que colocamos nossos bebês para assistir antes de dormir. 

Me lembrei que a primeira vez que vi Os Três Porquinhos (após muitos anos) com minha bebê eu achei o lobo mau repugnante com seus pelos duros e grossos. Curiosamente, minha bebê gostou deste desenho, então, era um dos selecionados para assistirmos antes dela dormir. Isso vinha ocorrendo há uns 5 meses sem qualquer problema.

Mesmo assim, achei que poderia ser o lobo mau que estava aparecendo nos sonhos dela e os tornando em pesadelos. Então, ontem eu o substitui por outro e foi batata, ela dormiu bem sem acordar chorando. Estamos na segunda noite e tudo vai bem. 

 Mamãe 2 x 0 Lobo Mau. 

Tuesday, August 28, 2012

Bebê e a hora de dormir - 0 a 10 meses

Nossa bebê dormiu no nosso quarto até completar 6 meses. É um procedimento comum na Irlanda. Ela dormia a um braço de distância de mim. Inicialmente num moisés que ficava coladinho do meu lado da cama de casal. Eu brincava que me sentia como uma recruta tendo que me erguer de prontidão todas as vezes que ela precisava ter o bico recolocado na boca. E foram inúmeras vezes por noite. Brincadeiras à parte, era muito confortante tê-la perto de mim, além de prático, pois ela mamava a cada 3 ou 4 horas. 

Por volta dos 3 meses o moisés começou a ficar apertado. Resolvi comprar um berço-cama (1,40 x 70 cm). Sempre a colocávamos de forma a evitar a Síndrome de Morte Súbita Infantil, ou seja, com os pés rentes ao pé da cama e com os cobertores de furinhos (celullar blankets) presos firmemente nas laterais da cama e abaixo das axilas dela. Quando o frio apertou usávamos o máximo de 5 cobertores, conforme recomendado no hospital. Assim, até os 6 meses não havia que se falar em métodos para ajudá-la a dormir, pois ela sempre estava próxima de nós à noite. 

Quando ela começou a domir no quarto dela ela pegava no sono muito facilmente. Eu chegava no quarto, dava um abraço longo, que envolvia niná-la andando para trás e para frente e depois a deitava e era basicmante isto. Todavia, na primeira noite ela chorou um pouco, como se tivesse assustada, então, no dia seguinte a levei ao quarto dela durante o dia e o mostrei tim tim por tim tim, e a segunda noite já foi tranquila.  

Aos 7 meses ela já não pegava no sono tão facilmente, talvez porque coincidiu com o nascimento dos dentes. Então eu tinha que ficar mais tempo para observar se uma possível inquietude era sinal de dor ou apenas cansaço. 

Por volta dos 8 meses e meio, quando ambos os dentes inferiores já haviam nascido ela passou a ficar mais atenta, então passei a entretê-la com brincadeiras relaxantes, que geralmente fazia durante o dia: contar até 5 com os dedos, com a voz muito baixa, abrir e fechar a mão, falando os movimentos que estou fazendo, sussurando também, além do sobe e desce com as mãos, mais uma vez explicando o que estou fazendo. Isso a relaxa e capta a atenção dela, de forma que ela fica mais quietinha. É um momento gostoso. Ela sempre sorri.

Aos 9 meses ela começou a rolar e foi um pouco tenso à noite, pois ela rolava sem parar e ainda não sabia como fazer para rolar sem bater a cabeça. Eu ficava em pé como um goleiro aguardando a bola, mas levei alguns frangos. Os protetores de berço não são recomendados após os 6 meses, pois o bebê pode puxá-lo e se sufocar, então, não usamos. A própria gerente da Mothercare me aconselhou a não comprá-los. 

Passada a empolgação inicial, ela passou a rolar bem menos na hora de dormir. Mantenho o ritual dos 8 meses e meio e uma vez ou outra tenho que retornar ao quarto. Às vezes ela reclama um pouco quando saio. Aguardo cerca de 1 minuto para observar se ela vai dormir ou se vai evoluir para um choro. Nunca deixo chegar em choro. Digo choro de verdade, não o simulado, que é muito bonitinho, e que nessas alturas já sabemos distinguir bem. Atualmente ela só precisa de mim à noite quando o bico cai ou ¨se perde¨ na cama. Nos últimos 2 meses isso caiu de 4 para 1 vez por noite.

Conclusão: Prefiro ficar no quarto com ela um pouco (cerca de 10 minutos) à colocá-la na cama, sair e ficar voltando a cada 1, 2, 3 minutos, como ensina um método que prega esperar 1 minuto a mais cada vez que o bebê chora. Por que? Porque esse método é para ensinar o bebê a dormir sozinho. Ela já sabe dormir sozinha. Ela aprendeu aos 6 meses, quando passou a domir no quarto dela. Naquela época ela pegava no sono rapidamente. Agora ela leva um tempinho e acho mais caloroso ficar com ela. Eu faço com ela o que gostaria que fizessem comigo. Acho uma grande tolice sustentar a idéia de que não se pode fazer isso porque o bebê vai se acostumar. Eu sou mãe dela, é claro que ela vai se acostumar e eu tenho o maior prazer em fazer isso. 

Rotina pré-cama

Quando ela passou a dormir no quarto dela eu categorizei os desenhos animados, de forma que passo os mais calmos após a última refeição. Leio o livro dos alimentos e/ou faço os sons dos animais e vemos alguns desenhos. Tudo isso por 20 minutos, enquanto limpo o rosto e as mãos com algodão e água fervida resfriada e escovo todos os 2 dentes dela. :) Não importa se eu já li o livro várias vezes durante o dia, ou se já fiz os sons dos animais mais cedo. O livro é o brinquedo favorito e os sons dos animais é sucesso garantido sempre. Prefiro dar banho assim que ela acorda, pois estamos mais dispostas.

Gases

Gases ou wind, em Inglês, foi o período (entre o 2o e 4o mês) mais difícil para mim e acho que para ela também. Como a recomendação aqui é dar apenas leite até os 6 meses, sendo que água em casos especiais, eu oferecia um pouco de água se as fezes estavam mais durinhas, mas isso era raro, de forma, que ela tomou água 2 vezes durante as crises de gases. Gases era resolvido no braço, ou melhor, a segurando em posições que aliviavam a dor. Elas variavam de tempo em tempo e tinhámos que nos virar para descobri-las. No geral, eram posições em que nossos braços pressionavam a barriga dela ou traziam as pernas contra a barriga. Houve uma época que ela não nos deixava sentar. É muito gentil da parte do pai (ou homem na casa) ceder os braços nesta época. 

Outra coisa sobre os gases é a seguinte. Todas as vezes que minha bebê acordava de repente de um sono (durante o dia ou a noite) gostoso eu a pegava de imediato e a colocava para arrotar. Em 98% dos casos era gases mesmo. Mais uma vez, imagino que há experts que diriam que isso não é bom, mas eu prefiro sanar a dor da minha filha a me preocupar com divagações teóricas, afinal, os gases só incomodam assim por uns 2 meses.

Dor da gengiva

Começou aos 7 meses. Durante o dia passo o gel (bonjela), quando necessário. Se ela acorda chorando damos paracetamol líquido infantil (Calpol). Se ela dá sinais de dor na gengiva na hora de dormir também uso o gel. Em situações raras em que ela não dorme o dia inteiro e demonstra forte dor na hora de dormir damos paracetamol. Isso ocorreu cerca de 3 vezes até hoje. Ela nunca chorou com dor durante o dia. É sempre à noite. O paracetamol leva entre 20 e 30 minutos para tirar a dor. Nesse meio tempo dou um colinho e ajuda muito ambas. :) Quando a dor pega a noite costumar repetir na noite seguinte, mas depois tudo volta ao normal.

O que está por vir

Estou ciente que há bebês que sentem dor nas pernas à noite quando começam a andar, mais ainda acho que não será tão difícil quanto à época dos gases. Obviamente se eu tivesse um segundo filho não acharia tão difícil. Para quem já tem experiência certamente é bem menos difícil.

Obs: Eu chamo minha bebê pelo nome dela, mas resolvi não escrevê-lo no blog para preservá-la.

Friday, August 24, 2012

Método de barreira de xixi


O método de barreira de xixi foi criado para atender o meu desejo de poupar minha bebê de incômodos desnecessários. É que quando ela era recém-nascida ela destestava trocar de roupa, mas às vezes fazia xixi durante a troca de fraldas e as roupas molhavam.

Uma belo dia eu olhei para o papel toalha de cozinha, ele olhou para mim e sorriu. Não, ele não sorriu, mas uma lâmpada acendeu em minha mente e eu tive a idéia de usar 2 folhas, dobrá-las (em cilindro) e colocar entre o bumbum e as costas dela antes de abrir a fralda. 

Passadas algumas trocas de fraldas percebi que 2 folhas até que absorviam a urina, mas ficavam encharcadas, então, subi para 3. Tenho usado este simplérrimo método de barreira durantes TODAS as trocas de fraldas há 10 meses. 

Agora que ela já rola tão bem quanto um policial em filme de ação, o método é mais difícil de ser colocado em prática. Não, ela não rola com os braços acima da cabeça segurando uma arma, mas agora você pode imaginar a agilidade dela. Enfim, agora ela não apenas tenta puxar o rolinho de papel como a fralda suja também. Eu prefiro deixar ela ganhar quando tenta puxar o rolinho. 

Para aqueles preocupados com a natureza eu explico que eu reutilizo o rolinho com os 3 papéis toalha e só uso mais 3 quando eles de fato molham. Também é bom dizer que eu a levanto antes de tirá-lo de forma que ele não raspa na pele dela. Isso não seria nada legal. 

Saturday, August 11, 2012

Ler jornal brasileiro assusta mais que filme de terror

Se houvesse premiação por violaçãos dos Direitos Humanos, o Brasil levaria o prêmio hoje. Não que seja algo incomum, mas o nível de desrespeito à dignidade da pessoa humana retratado nesta sexta-feira foi algo extraordinário. 

Primeiro vi o vídeo da máteria que mostra um guarda municipal de Goiânia arrastando um paciente posto de saúde a fora, após a bolsa de colostomia dele estourar e sujar o chão com fezes. O homem não consegue nem se levantar de dor, mas o guarda municipal não está nem aí. Coloca máscara e luvas para evitar contaminação e manda ver.

Depois vi o vídeo da matéria que exibe militares da Força Aérea Brasileira dando o que eles chamam de trote, no recruta. As imagens mostram uma clara cena de tortura. Após mandarem o recruta fazer alguns exercícios bem extenuantes eles o chutam, batem e literalmente pisam nele. Pisam, não, eles pulam no coitado que fica encolhido o tempo todo sem reagir, pois sabe que isso seria infrutífero. Você se pergunta se essa corporação conhece a civilização, a ordem e as leis e chega a pensar se o Código Penal Militar só tem folhas em branco.

Artigos sobre abuso policial em todas as esferas e agora militar são tão comuns como aqueles que focam em mulheres bonitas envolvidas com políticos. Curiosamente, você vê periódicos estrangeiros falando maravilhas sobre o Brasil. Que o dinheiro está rolando solto não há dúvidas, pois até a realeza britânica foi puxar o saco dos brasileiros. Mas o que me pergunto é o que mais tem que acontecer no Brasil para reformular a polícia. A ONU recomendou que o Brasil acabe com a PM, mas acho que isso só acontecerá na marra. 

E que país é esse que tem até guarda condominial?  Sim. Cada condomínio de classe média passa uma grade em volta de suas casas e paga segurança, pois não pode contar com a polícia. É o país dos capangas uniformizados? 

Sim, porque os policiais só podem estar confinados em centros de tortura ou na Rodoviária. Digo, em Brasília. Só se vê polícia lá. Carros policiais parados com os policiais lá dentro fazendo ronda com binóculos decerto. Uma médica desesperada chegou até a supostamente colocar seringas com vírus HIV na cerca da casa dela tamanha a frustração com os assaltos em Sobradinho. 

Já no Sul do Brasil uma amiga foi assaltada na porta de casa inúmeras vezes. Ver homem armado já virou rotina. Eu sugeri que ela fosse até a polícia. Ela riu. Tem um posto policial no quarteirão dela, onde eles provalmente só dormem...

Mas o que importa é vender a imagem de país rico. Sim. Cheio de políticos ricos com dinheiro público que tem processos arquivados pelo STJ e STF. Só se for!

Friday, August 10, 2012

Quando minha Pré-Engatinhadora rola

Quando minha Pré-Engatinhadora rola, ela finaliza a sequência erguendo o tronco e a cabeça. Então ela me olha toda orgulhosa de si como se dissesse ¨Olha o que eu sei fazer mamãe!¨ Eu a elogio e ela solta um largo sorriso de felicidade.

Eu também me orgulho dela, é claro, mas o sentimento maior é de cumplicidade. É uma lição também. Indiretamente ela me ensina que as minhas palavras tem um peso muito grande sobre ela, que minhas palavras influenciam na sua auto-confiança. 

Ela pode não entender exatamente o que eu digo, mas quando a elogio eu sorrio e balanço a cabeça e ela adora. Ela já aprendeu o que isso significa: que ela fez algo maravilhoso. Ela ainda não sabe que é maravilhosa e que não precisa fazer nada para me agradar, basta existir, por isso me emociono com sua pureza.


Monday, July 30, 2012

Em terra de olhos azuis...

... quem tem olhos marrons é Miss. Bem, nem todas, é claro. Mas repare que a maioria das Miss Ireland nos últimos 10 anos tem olhos e cabelos marrons. 

Miss Ireland 2012 - Rebbeca Maguire

Miss Ireland 2011 - Holly Carpenter 

Miss Ireland 2010 - Emma Waldron

Miss Ireland 2009 - Laura Patterson

Miss Ireland 2008 - Sinnead Noonan

Miss Ireland 2007 - Blathnaid McKenna

Miss Ireland 2006 - Sarah Morrisey

Miss Ireland 2005 - Aoife Mary Cogan

Miss Ireland 2004 - Natasha Nic Gairbheith

Miss Ireland 2003 - Rosanna Davison

Miss Ireland 2002 - Linday Duffy

Não pesquisei, mas imagino que no Brasil deve ser o contrário, ou seja, olhos azuis e loiras. Quando disse à minha mãe que desejava que a minha bebê tivesse olhos marrons, ela pareceu incrédula. Talvez porque ¨todo mundo¨ quer ter filhos com olhos azuis no Brasil. Curiosamente, quando ela nasceu eles eram a fusão dos do pai e dos meus: azuis com bolinhas marrons. Depois eles escureceram, embora sejam um pouco mais claros que os meus. 

Obviamente, o que importa é que ela nasceu perfeita e com saúde, e tem uma personalidade adorável, mas confesso que a semelhança na cor dos nossos olhos me alegra.

¨Está achando que sua filha vai ser Miss?¨, você deve estar me perguntando mentalmente. Desejo muito que não! Mas considerando o fascínio das pessoas pelos ¨beautiful big brown eyes¨ dela, como eles dizem, imagino que darão enfoque à aparência dela [na Irlanda].

Com certeza deve ser bem melhor crescer ouvindo elogios à críticas, mas creio que ela acabará pensando como eu: beleza não é algo conquistado, é fruto da combinação de gens, devemos procupar ser bonitos por dentro, com palavras e atitudes, porque esta conquista não se perde nunca, nem com a velhice. Quem é bonito por dentro é bonito até morrer. 

Wednesday, July 18, 2012

Acredito em espíritos mais do que nunca


Há pessoas que acreditam que quando morremos é o fim, mas hoje mais do que nunca acredito o contrário e vou explicar porque.

Deixo para dar banho na minha bebê antes da última refeição, pois o sol raia mais forte após às 17hs no verão (13hs no Brasil). Ela precisava ter os cabelos lavados, então fizemos isso. Ofereci a papinha da noite como de costume e a mamadeira e dei início ao ritual de dormir em seguida, que consiste em ver alguns vídeos infantis brasileiros e ler um livro em Português para ela.

Enquanto fazia a higiene do rosto, que fazemos separado do banho, com algodão e água fervida, e escovava os dentes dela, ¨ouvi¨ uma voz que me chamava atenção para o fato de que seus cabelos ainda estavam longe de estar secos. 

Então olhei para eles e os toquei. Me dei conta de que realmente eles ainda estavam bastante molhados. Pensei como não havia notado aquilo antes. ¨Agora ela tem muito mais cabelos¨, pensei ¨eles não secam rápido como antes¨. 

Eu estava distraída até então e aquela ¨voz¨ me explicou que não seria uma boa colocá-la para dormir de cabelos molhados. ¨É claro¨, eu pensei em seguida, ¨minha mãe sempre reclamava quando lavava a cabeça à noite, como não pensei nisso antes, é tão óbvio¨...

Alguns podem achar que eu simplesmente usei o meu senso comum, e é verdade, mas apenas após receber o ¨toque¨. Não é a primeira vez que isso acontece, digo, que sinto que estou sendo orientada. É claro que outras vezes o pensamento parte de mim, após minha observação, mas hoje claramente não foi o caso. Acredito que é minha avó materna (foto). Suspeito que minha tia Zélia contribua também. 

Instinto maternal é algo que percebo em mim e qu me guia, como o próprio nome sugere: instintivamente, mas há ocasiões que tenho minha atenção chamada para fatos que não tinha percebido, de forma que, felizmente, não me recordo de ter cometido alguma falha nestes 9 meses e meio com minha bebê, o que é sensacional, pois sou humana e, às vezes, fico cansada.

Friday, June 22, 2012

Cortando os cabelos com Creaclip

Não é de hoje que corto meus próprios cabelos, em 2009 escrevi o post Cortando os próprios cabelos. Às vezes vou ao salão, como em dezembro, a última vez que eles receberam um trato.

Comprei o kit do Creaclip para cortar os cabelos da minha bebê no futuro, mas após 3 tentativas frustadas de ir ao salão resolvi usá-los hoje mesmo depois de ter que retornar para casa no meio do caminho, pois não chegaria à tempoSegui os passos de ambos os vídeos abaixo, mas preferi passar a máquina (de cortar cabelos masculinos) ao invés de usar a tesoura, pois não estava com muita paciência.

Enfim, o corte com Creaclip ficou muito melhor do que os anteriores, quando usava apenas a tesoura. Estou contente com o resultado, pois o objetivo é explorar novas habilidades, mesmo com alguma ajudinha. :) Fotos abaixo (meus cabelos secaram naturalmente, não usei secador antes de tirar as fotos). Usando o secador eles brilham mais. Ah! Passei um pouco de oléo de argan. Cortei com os cabelos lavados (molhados). A franja na altura do nariz. 



Antes
Depois

Friday, May 25, 2012

Um dia muito quente


A temperatura máxima de hoje foi 25C. É como se fizesse 35C para os irlandeses e para mim também, pois meus pés incharam! Normalmente isso só acontece quando vou para o Brasil - onde fui ao médico e fui informada que minha circulação é boa.

Enfim, no final da tarde fui até a farmácia comprar paracetamol líquido para a fofucha, no caso dela ter dor. O primeiro dentinho dela está para nascer e a gengiva dói vez ou outra à noite. Me deparei com o cenário usual de um dia quente na Irlanda: vários jovens como este na foto acima. Não com a marca dos óculos porque eles não são bobos, mas a marca da camiseta é idêntica. Já o tom das queimaduras é um tom mais rosado. Parece bem doloroso...

Num dia como hoje eles vestem short e camiseta clara, embora muitos nem aguentam a camiseta. Já a fofucha, que saiu para um passeio no calçadão com o pai depois das 15hs, vestiu um body, uma camiseta de mangas curtas e uma calça. Todos de algodão. Enfatizo o material, pois até hoje ela sempre usava algo aveluado ou cardigã, preferencialmente crochê (que tem furinhos) para ficar em casa. Para sair colocávamos mais camadas de roupas e/ou coberta. 


Hoje cobrimos o carrinho com uma capa que tem proteção UV (UPF 50+). Nunca vi ninguém usando. Ontem a utilizei também e algumas pessoas olhavam como se ela fosse filha do Michael Jackson...


Desde ontem ela dorme com este saco de dormir na foto. Ele é da expessura de um lençol e tem tog 0.5, que é para quarto com temperatura entre 24C e 27C. Faz 24C no quarto dela. Normalmente faz 18C e ela usa um de tog 2.5. O calor trouxe muitas mudanças. Menos roupas, janela aberta ao dormir (no começo da noite) e muito uso do termômetro, que é maravilho. Falarei sobre ele no próximo post.

Sunday, May 13, 2012

Primeiras duas horas do Dia das Mães

Enquanto a minha fofucha tira a sua primeira soneca do dia vou contar o que já fiz entre às 7:00 e 9:45 da manhã de hoje, o meu primeiro Dia das Mães!

- Troca de fraldas enquanto canto para ela.
- Preparo do café da manhã: porridge (da Milupa) e mamadeira (preparada pelo pai na madrugada), mas tem que esquentar.
- Preparo das demais mamadeiras de leite e água do dia. Todas ficam na geladeira para serem levemente esquentadas antes de servir.
- Outra troca de fraldas. O café da manhã fez o intestino funcionar!
- Preparo de purê de pera e maça no vapor para ser servido com iogurte natural no lanche da tarde de hoje, mais 2 potinhos que foram congelados.

Antigamente eu não teria feito nadinha, pois ainda estaria dormindo. Feliz Dia das Mães*!

O purê de ameixa do lanche da manhã eu preparei ontem. Congelamos lanches e almoço para durar uns 3 dias. Todos são feitos no vapor usando o aparelho da Philips Avent. O café da manhã e a última refeição são feitos na hora (papinhas da Milupa). Agora com 31 semanas, ela toma 3 x 210 ml de Follow On Milk (da Aptamil) e 2 x 100ml de água fervida e resfriada.

*Hoje não é Dia das Mães na Irlanda. Aqui ele é comemorado em março. Todavia para mim o que vale até hoje é o brasileiro, afinal minha mãe está no Brasil. Quando a minha fofucha crescer e me desejar feliz Dia das Mães em março ele passará a valer para mim.

Wednesday, May 09, 2012

Re: É possível obrigar um pai a ser pai?


O título deste post faz referência ao artigo da jornalista Eliane Brum na Revista Veja desta semana. Ela critica a decisão do STJ em favor da filha que buscou reparação por abandono afetivo. 

O argumento principal da jornalista é que o Estado não deve interferir na relação privada entre pai e filha o punindo por ter faltado com seu afeto. Ela alega que o juiz não tem possibilidade de avaliar o afeto por ser uma questão subjetiva. Ela ainda sustenta a idéia de que a filha usou a justiça para se vingar do pai que segundo ela foi obrigado a pagar o valor equivalente à um apartamento, qual seja R$ 200,000. 

A jornalista critica a autora da ação dizendo que a sua lamentação pelo amor não recebido a coloca numa posição infantilizada e incoerente com a sua idade. Ela escreveu ¨crescer significa parar de choramingar e seguir adiante¨, mas afirma que não tem dúvidas que a filha sofreu.

Em suma, ela acredita que a decisão do STJ é um mal precedente. ¨Um Estado que cada vez mais se arma do direito de entrar dentro das nossas casas e determinar como devemos viver¨, ela escreveu.

Todos tem o direito de expressar a sua opinião. Se ela não tivesse adentrado no campo jurídico tudo teria ficado bem, pois o Direito não é o que achamos, mas sim o que de fato é. 

Os juízes lidam com questões subjetivas o tempo todo. As ações de compensação por dano moral estão aí para comprovar isso. Qualquer pessoa que se sente ofendida tem o direito de buscar reparação na justiça. Isso não significa que vão obter êxito. Depende de cada caso e do convencimento do juiz. Aliás, ao meu ver o artigo que estou comentando dá uma boa ação de danos morais...

De qualquer forma, pouco importa como vai se chamar a ação. Reparação por danos afetivos. Reparação por humilhação paternal. O que importa é o conteúdo. No final das contas o juiz vai avaliar se o pedido procede e se proceder vai reparar com a moeda corrente naquele país, o vulgo dinheiro. Ou a jornalista esperava que a sentença fosse ser um beijo e um abraço do pai? Se a filha tivesse conseguido algo que é gratuito e esperado por qualquer criança ela obviamente não teria se exposto em caráter nacional.  

Digo ainda que não cabe aos juízes julgar os problemas psicológicos das pessoas a não ser que elas tenham cometido um crime e certamente nesse caso a filha não comenteu crime algum, ela foi sim é vítima de maus tratos psicológicos em forma de omissão, algo pouco falado porque quando a pessoa se dá conta de que foi vítima, ela já é adulta e se expressar sua tristeza vem uma jornalista supostamente humana e a ridiculariza em milhares de exemplares de revista e em artigo na internet também.

Last time I checked quem requer a ação de pensão não é o filho, mas o pai ou a mãe, que o faz em nome dele. Quando o filho tem discernimento o suficiente para saber que a pensão é insuficiente para suas necessidades ele já passou da idade legal para receber pensão ou pedir reajuste. Todavia, afirmar que a ação de reparação foi para suprir esse ajuste também foi outro preconceito da jornalista contra a ¨mulher infantilizada¨.

Basta uma lida em Introdução ao Estudo do Direito para saber que o Estado não entra na casa de ninguém. Quem entra é o direito um sistema normativo coercitivo que se encarrega de regular os comportamentos do convívio social humano. “Onde está o homem está a sociedade; onde está a sociedade está o direito”. Se o Direito não tratasse de questões privadas não haveria Direito de Família nem sequer um contrato de locação. 

Normalmente eu exerço mais paciência no meu blog, mas este caso me tirou do sério pela inferiorização desnecessária de uma pessoa que já foi inferiorizada a vida inteira. Até a próxima! Antonio Carlos Jamas dos Santos Luciane Nunes de Oliveira Souza

Tuesday, May 08, 2012

Irlanda entre os melhores países para se tornar mãe

Clique na imagem para vê-la maior


A organização não-governamental Save the Children publicou hoje um ranking dos melhores países do mundo para se tornar mãe. A Irlanda ficou em 9o lugar enquanto o Brasil ficou em 54o. Dez posições atrás de Cuba, que ficou em 44o.

Alguns amigos e parentes já brincaram comigo para eu voltar para o Brasil por causa da recessão européia que atingiu a Irlanda de cheio há mais de 2 anos. Nunca respondi às brincadeiras porque a resposta envolve comparar a vida na Irlanda com a do Brasil e todos eles estão no Brasil. 

A questão é que mesmo durante a recessão as pessoas aqui tem saúde de graça de qualidade, se quiserem ou precisarem. É claro que a saúde na Irlanda não é perfeita. Entretanto os órgãos que monitoram os pacientes nas emergências do país afora, por exemplo, controlam de perto o número de pessoas esperando por um leito. Se alguém é atendido na parte pública do hospital é um escândalo nacional. 

Não existe o problema de pacientes não operados por falta de material como normalmente ocorre no Hospital Universitário de Brasília. Cito este hospital, pois sou de Brasília e acompanho as notícias de lá com frequência. 

Finalizando a questão da saúde, pode-se resumir que a diferença entre o Brasil e a Irlanda é que no primeiro país há um descaso geral, digo de políticos e de certos médicos que discriminam os pobres, somado à corrupção que desfalca os cofres públicos e consequentemente  afeta a saúde. Já na Irlanda o problema maior é a administração dos hospitais. 

Quanto à benefício social decorrente do nascimento de um bebê, na Irlanda, todas as mães recebem cerca de R$355 por mês. E o mais importante: este dinheiro vale cerca do triplo [do que no Brasil] porque itens para bebês e crianças são isentos de VAT, que corresponde à 23% sobre a maioria dos produtos e serviços.

Para você ter uma idéia, hoje mesmo compramos uma caixa com 87 fraldas Active Fit tamanho 5+ da Pampers por R$38. No Brasil sai por quase R$100.

Como já falei da existência de saúde pública para todos, você já deve subentender que o pré-natal, parto e permanência no hospital após o parto são gratuitos. E uma parteira ainda faz duas visitas a nova mamãe quando esta volta para a casa. Entenda parteira como uma profissional qualificada que chega a realizar o parto normal no hospital se não há complicações. Já tirei dúvidas com a nossa duas vezes por sms. Sim, Olivia é fantástica.

Há ainda uma série de benefícios sociais para ajudar os pais a comprarem uniforme e tênis para escola (veja Angela Ashes e verá a pobreza da Irlanda no passado) e outros mais, mas apenas para quem precisa. Não para todos. E quando a criança chega na idade escolar frequenta a escola de graça. 

Apenas pelo ponto de vista de uma mãe ou pai você já entende que mesmo em recessão a Irlanda é um país que objetiva a igualdade social. A questão é que aqui o bem estar da criança é levado bem mais à sério e isto tem uma série de implicações positivas nas vidas dos pais. Sobretudo acredito que em geral os pais são menos estressados e tem mais condições de passar mais tempo com os seus filhos. Existe creches (pagas) também, mas o suporte governamental dá mais condições para que pelo menos um dos pais não terceirize a criação dos filhos. 

Da mesma forma que as crianças são mais respeitadas, as mães (ou pais) que optam ou tem que cuidar deles são valorizados. Não é incomum mães de classe média abrirem mão de suas carreiras para cuidar de seus filhos ou trabalharem meio périodo (4 horas) para não verem seus filhos criados por terceiros. 

Agora você entende porque eu nunca respondi as brincadeiras? A verdade parece uma crítica ao Brasil e aos pais no Brasil. No que se refere ao governo brasileiro, eu digo que sim. No que se refere aos pais, não porque eles são vítimas de toda uma estrutura que não escolheram. 

Hoje o Brasil pode ser financeiramente mais rico que a Irlanda, mas em termos sociais não há comparação. A Dilma ainda tem muito trabalho pela frente. Felizmente ela está mudando a mentalidade de alguns já.

Este post foi escrito por impulso, após ler a matéria do Opera Mundi. Bem, a maioria dos meus posts são assim. Se não for assim não escrevo. O último foi há 1 mês!

Saturday, April 07, 2012

A Encantadora de Bebês (livro)



Só tive a oportunidade de ler o livro A Encantadora de Bebês (Secrets of the Baby Whisperer) agora que minha bebê tem 6 meses. Felizmente prestei muita atenção ao que as enfermeiras e parteiras me disseram quando estava no hospital após o parto, então, não fiquei muito a dever.

O que eu já vinha seguindo, que o livro recomenda, é dar enfoque ao mamar, brincar e dormir. Não porque eu já tivesse o dom natural de saber, mas porque após mamar e brincar minha bebê ficava com sono. Aos 5 meses ela começou a virar a cabeça para o lado indicando que estava com sono, então, aprendi isso com ela mesmo. Digo, ¨ela¨ minha bebê. 

Também já tinha lido em sites especializados a questão do respeito pelos bebês (talvez não deram crédito à Tracy Hogg). Não que eu precisei ler sobre isso para respeitar minha bebê, mas aprendi como manifestar esse respeito ao explicar o que farei com ela antes de cada atividade.

O que foi muito útil para mim foi saber o impacto que as visitas tem nos bebês. Um dia após eu terminar de ler o livro, nós recebemos duas visitas* num mesmo dia. Ela não conseguiu dormir à tarde. À noite ela custou a dormir após chorar bastante. Ela estava cansada demais para dormir (overtired). Eu teria ficado preocupada se não tivesse aprendido o impacto das visitas (e cheiros) nos bebês, pois ela estava com a barriguinha cheia, a fralda trocada e tudo mais. Com o auxílio do livro pude entender o que estava acontecendo e manter a calma.

Achei fantástica a forma como ela abordou a escolha sobre amamentar ou dar mamadeira. A autora foi franca e nada preconceituosa. Os sinais que os bebês dão quando estão com cólica e etc também são excelentes. Alguns você aprende na prática, mas saber todos apenas lendo o livro é fora de série. 

Outro ponto importante do livro é como proceder quando chegar em casa com seu bebê. Infelizmente a dica chegou tarde demais para mim. Se eu tivesse dormido 3 horas à tarde talvez não tivesse ficado doente no segundo mês e poupado minha bebê de uma gripe. Felizmente ela superou rápido.

A questão do uso de chupetas também me ajudou a fazer alguns ajustes. Deixei de colocar a chupeta na boca dela toda vez que ouvia ela se mexendo (acordada) na cama à noite. Só o faço quando ela pede com suas tossidinhas que se não atendidas viram choro, o que não deixamos acontecer.

Tracy Hogg é contra o uso de baby monitor, mas eu sou a favor. Nossa casa tem dois andares e não é possível ouvir quando ela começa a pedir a chupeta para voltar a dormir, quando estou no térreo. Se você não consola logo o bebê as tossidinhas ou choro podem se transformar num berreiro, estressando e dificultando seu bebê a voltar a dormir. Mas mesmo quando estou no meu quarto deixo ele ligado. As canções de ninar me ajudam a dormir também. Na verdade elas já estão registradas no meu subconsciente! rs Uso o monitor Philips Avent, caso esteja interessado(a) em saber. Decidi-me por ele, pois posso falar com ela. É útil se estou no quintal. Aviso que estou indo. Também posso falar com o Pete se ele está no quarto com ela e vice-versa.

Certamente vou reler partes do livro de novo. Agradeço à minha prima Gina por ter me enviado sua bíblia de bebês. A única dica que está, digamos, desatualizada, é colocar o bebê para dormir de lado. Entretanto a edição do livro que li é de 2001. Talvez a preocupação com a Síndrome de Morte Súbita Infantil -  SMSI seja mais recente. Recomendo o jornal diário online Parent Daily também.

*Geralmente recebemos visitas, uma ou mais pessoas, de cada vez, ou melhor por dia, mas na semana passada foi diferente. Embora elas não tenham chegado a pegá-la no colo, interagiram com ela, sendo que uma dessas pessoas (um senhor) usava perfume. Não estou advogando a restrição de visitas, mas apenas a ciência de que pessoas que não moram na casa podem deixar seu bebê um pouco ou muito agitado.

Saturday, March 31, 2012

Porque NÃO apoiar Kony 2012


Você já deve ter assistido o filme Kony 2012. Ele propõe a prisão de Joseph Kony, o chefe da Lord's Resistance Army (LRA) que escraviza crianças para cometer crimes bárbaros em Uganda. A campanha é ligada à uma organização sem fins lucrativos chamada Invisible Children. 

Todavia já é sabido que apenas 32% dos U$8.676.614,00 arrecadados por Invisible Children em 2011 foram utilizados para ajudar as crianças. O resto foi utilizado em salários, viagens, transporte e produção do filme Kony 2012.

clique na foto para ampliá-la

O jornalista Joshua Keating, sediado na Uganda, explica porque Kony 2012 tomou conta das redes sociais:

Seria ótimo livrar-nos de Kony. Ele e suas forças armadas deixaram um caminho de sequestros de crianças e assassinatos em massa por mais de 20 anos. Mas vamos deixar duas coisas claras: 1) Joseph Kony não está na Uganda há 6 anos. 2) o número de crianças envolvidas no exército de Kony está  no máximo na casa das centenas agora (o filme fala em 30.000 crianças) e embora ainda cause imenso sofrimento, não está claro como milhões de pessoas bem intencionadas, mas desinformadas ajudarão a lidar com a realidade mais complicada.

Na verdade, durante um período de relativa paz não vista em anos, Mark Kersten de Justice in Conflict conta que a Uganda tem reservas de petróleo recém descobertas que ¨podem produzir entre 2.5 a 6 bilhões de barris de petróleo que tem sido diretamente ligadas à segurança do país¨.

Em outubro de 2010 o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, enviou 100 soldados para a Uganda para ¨remover¨ Joseph Kony embora é sabido que ele não está naquele país. Você deve lembrar que em 2003 os Estados Unidos invadiram o Iraque sob o pretexto de que eles tinham armas de destruição em massa quando mais tarde ficou claro que tudo o que eles queriam era petróleo. 

Acho que não preciso ser mais clara. Você está sendo enganado pelo vídeo Kony 2012. 

Fonte. RT (jornal russo com publicações em Inglês)




Wednesday, March 28, 2012

Desaparecidos, mas não esquecidos


Acabei de ler a matéria do O Globo em que a filha de Rubens Paiva, desaparecido durante o regime militar, conta em detalhes as 24 horas em que passou no DOI-Codi, no Rio de Janeiro, em janeiro de 1971. 

Apesar de um dia já ter tido 15 anos, incorporei os sentimentos da mãe dela, que ¨congelou¨ de medo ao imaginar o que acontecera com a filha e o marido naquele quartel malígno, enquanto imaginei minha sobrinha no lugar de Eliana Paiva, que à princípio foi poupada pela própria inocência. Dificilmente senti sequer um terço do que essa família passou durante a prisão.

Nenhuma pessoa próxima à mim ou minha família foi diretamente afetada pelo regime militar. Todavia, solidarizo com a dor de Eliana e de todas as famílias na mesma situação dela. 

Para cada preso e torturado havia uma série de pessoas envolvidas que guardam segredos. Aquelas vivas deveriam ser levadas à Justiça para falarem tudo o que sabem e serem punidas na medida do possível. Clique aqui para ver a lista de cassados, exilados, presos, sequestrados, torturados ou mortos durante o regime militar.

Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, foi criada a Lei 9140/95 que reconheceu os abusos ocorridos e fixou indenização mínima de R$ 100.000,00 para cônjuges e parentes. Contudo, para termos um futuro próspero precisamos limpar o nosso passado. É chegada a hora do nosso governo começar a apurar o desaparecimento dos presos e torturados durante o regime militar. 

Mais de 280 pessoas foram mortas, muitas sob tortura. Mais de 100 desapareceram, mas ninguém acusado de torturar presos políticos chegou a ser punido. Em 1979, o Congresso aprovou a Lei da Anistia, que determinou que todos os envolvidos em crimes políticos fossem perdoados pela Justiça. Contudo, pelo entendimento da ONU, cujos vários documentos tem a assinatura do Brasil, o crime de tortura é imprescritível. Nunca é tarde para reconhecer direitos humanos. 

Matéria relacionada: Ação sobre desaparecidos reabre debate sobre anistia (Diário do Congresso)
Edição 11.05.12: Artigos sobre a Comissão da Verdade no blog Com Texto.

Friday, March 16, 2012

Novo teste de próstata não invasivo


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), 60.000 homens terão câncer de próstata no Brasil em 2012. Já a estimativa na Irlanda é de 1 em cada 13 homens. Detectado no estágio inicial, o câncer de próstata pode ser curado, especialmente quando ainda confinado na glândula prostática. Homens com 50 anos sem histórico de câncer de próstata na família e homens com 40 anos com histórico de câncer de próstata na família devem testar o nível de PSA (prostate specific antigen) no sangue. 

Recém-lançado na Irlanda, o PROSTA-Check testa justamente o nível de antígeno prostático específico (PSA), que é uma proteína produzida pelas células da glândula  prostática. O teste pode ser feito em casa fazendo um furinho no dedo e recolhendo gotinhas de sangue. O resultado aparece em 10 minutos.  Caso queira fazer o teste e não encontre o kit onde mora entre em contato, se desejar.

Tuesday, March 13, 2012

Minhas tattoos irlandesas

Kiss me I'm Irish - no pulso

Bandeira Irlandesa - no ombro direito

Trevos ou shamrocks - no ombro esquerdo
  
Pacote com 48 tattoos


Nesta época do ano é fácil encontrar artigos patrióticos porque o Dia de São Patrício, o santo padroeiro da Irlanda, é dia 17 de março. É um carnaval irlandês! Não fique triste se você gostou muito das tatuagens também. Eu envio pelo correio para qualquer lugar do mundo. É só entrar em contato. Mas já aviso, não é de graça, pois o Natal já passou. ;)

 

De quebra comprei o chapéu de leprechaun para fazer graça para a minha irlandesinha linda! Ah! As tattoos saem com álcool e não são apropriadas para menores de 3 anos. Você retira o papel e coloca o verso contra a pele e pressiona com uma esponga úmida por 20 a 30 segundos. 

Monday, March 12, 2012

Porque vacinar adultos contra a coqueluche


O número de casos de coqueluche dobrou em 2011 tanto no Brasil quanto na Irlanda. Isso de acordo com dados da Saúde Pública e do Health Protection Surveillance Centre respectivamente. Só em São Paulo foram 183 casos no primeiro semestre do ano passado, sendo que 6 destes resultaram em morte. Esta doença é mais grave em recém nascidos com menos de 6 meses de idade. 

A vacina é gratuita para crianças no SUS. Entretanto, são os jovens e adultos os principais responsáveis por transmitir a bactéria causadora da infecção. No Brasil os parentes próximos são os maiores responsáveis por 83% dos casos de coqueluche em bebês com menos de 6 meses. Nos Estados Unidos a FDA recomendou, em 2010, que os maiores de 65 anos tomassem o reforço da vacina, pois lá os avós são responsáveis por 6 a 8% das transmissões.

Os sintomas aparecem cerca de 10 dias após a contaminação e a doença tende a durar até 3 meses. O que caracteriza esta doença é a tosse com guincho. Após o ataque de tosse a pessoa tem que buscar por mais ar, daí o termo. 

O contágio da bactéria pode acontecer por tosse, espirro ou até a fala uma vez que expelimos pequenas quantidades de saliva quando falamos, às vezes. O doente começa sentindo mal estar e tendo catarro, desenvolvendo um resfriado com febre baixa. Duas semanas depois as tosses compridas começam e duram 2 meses. São 20 a 30 tosses seguidas sem inspirar. Os adultos ficam vermelhos e os bebês chegam a ficar roxos. É muito desconfortável. A tosse não escolhe hora e os bebês e crianças sofrem muito com ela à noite. 

Como a coqueluche é causada por bactéria e não vírus, como alguns erroneamente pensam, o tratamento é feito com antibióticos. Os bebês com menos de 1 ano muitas vezes acabam tendo que ser hospitalizados por até 2 semanas, pois perdem líquido com os vômitos que acontecem após a tosse e precisam receber soro e oxigênio também. 

Só na Califórnia (EUA) 10.000 pessoas contraíram coqueluche em 2010, entre elas 70% eram bebês com menos de 6 meses, pois eles ainda não tinham tomado as 3 doses necessárias da vacina DTP (difteria, tétano e pertussis) para protegê-las contra a bactéria bordetella pertussis que causa a coqueluche. 

O médico Moisés Chencinski explicou em entrevista na tv brasileira que a vacina vai perdendo o efeito com o tempo e  que por isso deveríamos tomar um reforço passados 10 anos, algo que nós não fazemos. Por isso os jovens e adultos são os maiores responsáveis por transmitir a doença. Ele ainda explica que 20 a 30% dos casos de tosse prolongada em adultos podem ser coqueluche. Contudo, como os sintomas são mais leves nos adultos eles não vão ao médico nem evitam contato com as crianças que pegam a doença e ficam muito mais debilitadas.

De acordo com o médico grávidas podem tomar esta vacina, pois ela não é de vírus vivo. Infelizmente ela custa cerca R$ 100 para adolescentes e adultos. Ela é gratuita apenas até os 5 anos no Brasil. 

Complicações:
Convulsões
Encefalite (inflamação aguda do cérebro)
Pneumonia
Morte

video - crianças com coqueluche

Já antecipo aos meus amigos e familiares que minha bebê já terá recebido as 3 doses quando formos ao Brasil e que eu recebi a 6-in-1 hoje.

Importante: Um bebê americano foi incorretamente diagnosticado com refluxo. Troque de médico se o seu bebê ou criança apresentar a tosse típica da coqueluche e o médico não souber reconhecer os sintomas!



Calendário de Vacinação Infantil de 0 a 10 anos no Brasil




Saturday, March 10, 2012

Primeiros cinco meses da minha bebê e eu


Daqui duas semanas minha bebê completa seis meses. Eis o que se passou de forma bem suscinta:

Primeiro Mês

O meu único receio era deixá-la cair, pois ela era molinha. Ela mamava a cada 2 ou 3 horas e ficava acordada pouco. Era comum dormir nos meus braços por horas. Como colocar sua anjinha no berço de imediato quando você esperou tanto tempo para tê-la em seus braços?

Segundo Mês

Meu medo de deixá-la cair diminuiu porque ela começou a ficar durinha, o que facilitou muito na hora do banho. Embora o baby blues já tivesse passado (eu apenas chorava ao entardecer, benditos hormônios!) vieram pensamentos sobre o futuro e foi aí que resolvi viver intensamente o presente, como se cada dia fosse o último. Cliché ou não, é a verdade.

Ela mamava a cada 3 ou 4 horas e ficava acordada um pouco mais. Quando achávamos que ela escaparia das cólicas elas começaram no fim do mês. O lado positivo é que você aprende a distinguir os choros de fome e dor rápido!

Ela começou a dormir a noite toda. 

Terceiro Mês

Ela mamava a cada 4 ou 5 horas e teve uma crise de cólicas. Digo, cólicas todas as noites por uma semana. Passamos a dar banho na tummy tub com mais frequência, o que ajudou. Fora isso, ficávamos com ela no braço, nas posições que ela sentia mais alívio, por cerca de 30 min por noite. Não é nada em relação à certos bebês.

Quarto Mês

Ela mamava a cada 4 ou 5 horas também, mas com certa irregularidade, ou seja, às vezes ficava até 6 horas sem mamar. As cólicas diminuiram bastante passando a eventuais gases rapidamente dissipados ao colocá-la nas posições propícias para tanto.

Quinto Mês

O espaço entre as mamadas reduziu de uma hora para a outra de forma que antes a última mamadeira era  entre às 22hs e 23hs e agora entre às 18hs e 19hs! Isso somado ao pescoço bem firme e ao interesse pelo o que comemos resultou no ínício da papinha (baby rice) e purês de vegetais. Bem, vegetal. Ela começou a comer purê de cenoura ontem. Felizmente ela come e dorme muito bem!

Thursday, February 09, 2012

Lei de Reforma do Congresso ganha força



Muitos de vocês já devem ter recebido e encaminhado um email com uma proposta de Lei de Reforma do Congresso. Também o recebi, contudo decidi transformá-lo num abaixo-assinado no site Petição Pública, em 25 de outubro de 2011. 

O projeto já conta com o apoio de 11.088 pessoas até às 13:00hs de hoje, dia 09 de fevereiro de 2012. Esta semana a jornalista Carolina Tavaniello do Jornal Ibiá, do Rio Grande do Sul, entrou em contato comigo. Ela está colhendo dados para uma máteria.

Com a pressão do povo e o apoio da mídia podemos efetuar alguma mudança no Congresso de modo a colocar os políticos de lá em maior condição de igualdade com os contribuintes brasileiros. O texto traz outras propostas e é curto. Você pode lê-lo clicando no link abaixo e apoiá-lo com a sua assinatura, o encaminhando por email ou compartilhando nas redes sociais. 

Os Projetos de Lei de Iniciativa Popular começam assim, por abaixo-assinado à Câmara dos Deputados. Cabe à nós pressionar os deputados e exigir a aprovação dos projetos que nos interessam. Os deputados tem o dever de nos atender. Nós podemos enviar o abaixo-assinado por fax, carta e email. 

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N15708

Endereço:
Comissão de Legislação Participativa - CLP
Anexo II, Pavimento Superior, Ala A, salas 121/122,
Câmara dos Deputados
Brasília – DF
Cep: 70160-900

Email: clp@camara.gov.br
Telefones: (XX) 61 3216-6690 a 3216-6697
FAX: (XX) 61 3216-6699

Monday, January 23, 2012

Por favor, leia antes de entrar em contato


Estou escrevendo este post porque está havendo uma certa confusão quanto à finalidade deste blog. Escrevo para compartilhar informações, falar sobre minha vida na Irlanda e comentar temas que me interessam. Organizo tudo isso em tags que podem ser vistas abaixo de ¨Tópicos¨. O blog ainda tem um campo de pesquisa no topo onde pode-se pesquisar posts por palavras. Tudo o que escrevo ainda fica guardado por ordem cronológica no ¨Blog Archive¨. 

A Embaixada do Brasil na Irlanda oferece email de contato para tirar duvidas consulares. Aconselho aqueles com dúvidas sobre casamento, nome após o casamento e perguntas similares a escrevem para o setor consular.

A melhor forma de ajudar quem vem fazer turismo ou morar na Irlanda é não dar informações ¨mastigadas¨ que podem ser facilmente encontradas na internet, pois isso é contraprodutivo para quem vai lidar com os irlandeses. Eles tem fama de serem descontraídos e realmente são, mas eles não tem paciência para ¨levar pela mão¨. O que quero dizer é que você tem que se esforçar para fazer as coisas você mesmo. Eu vou explicar isso melhor em outro post. Acompanhe a tag Irlanda.

Até lá aconselho aqueles que precisam ligar para números na Irlanda a baixar o 12Voip que permite ligar para númerors fixos aqui de graça por 120 dias após a inserção de créditos. Quanto à reserva de hotéis recomendo o booking.com. Se for ficar em Dublin sem carro sugiro ficar próximo à O'Connell Street, que é a rua central. Qualquer lugar dali até a praça St. Stephen's Green é bem central. Temple Bar, só se você consegue dormir com barulho à noite. É uma área de pubs e restaurantes. O hotel depende do bolso de cada um. Albergue é igual em todo mundo. Você deve levar seu passaporte e dinheiro consigo até para tomar banho. Não deixe esses itens em mala de forma alguma. 

Além deste blog ainda escrevo sobre notícias que possam interessar brasileiros na Irlanda e no Brasil no twitter Irlanda News. Ainda há o blog Irlanda News (veja ambos à esquerda), mas não tenho tido tempo de atualizar aquele blog com a mesma frequência de antes.

Finalmente, eu morei em Dublin a 12 anos atrás. Estou em Galway desde 2007. Mudei o nome do blog para deixar essa confusão de lado também. Assim, fique à vontade para entrar em contato. Sugestões para novos posts são bem-vindas. Contudo, caso eu receba emails que se enquadram no que expliquei acima eu vou encaminhar este post. Se mesmo assim você quiser a minha assistência, por favor, envie o seu email de cobrança do Paypal quando entrar em contato. Obrigada.